Minhas unhas estão quebrando, OH, o que fazer?

Por Luísa

Olá, pessoas!!

Estou aqui hoje para um post um pouco mais sério e não tão voltado para a estética. Então peço que tenham paciência e leiam com calma, prometo que vai ajudar muito a quem tem esses problemas. Quem não tem, pode passar reto e esperar o próximo post sobre esmalte, mas sem descuidar das garras. 😀

Muitas pessoas, inclusive homens, reclamam que têm unhas fracas e quebradiças, mas acham isso normal.Antes de mais nada, temos que estabelecer diferenças entre unha FINA e unha FRACA. A unha fina tem menos camadas de queratina, portanto são mais maleáveis e consequentemente quebram menos. A unha fraca é mais dura, só que as moléculas de queratina não estão tão bem ligadas entre si, o que causa uma heterogeneidade em sua estrutura e uma facilidade maior para quebrar.

O que fazer a respeito?

Antes de sair tacando óleo de cravo e enchendo a unha de base fortalecedora, é preciso encontrar a causa da fragilidade das unhas e adquirir hábitos mais saudáveis. É costume de vó dizer como está sua saúde só olhando para o seu cabelo. E isso tem fundamento, porque o cabelo também é feito de queratina, e quanto mais forte e saudável, mais brilhante ele é (falamos de cabelos naturais). Se suas unhas são fracas e seus cabelos são fortes, é porque há um fator externo causando fragilidade nas unhas, como traumas, infecções, micoses, entre outros. Se o cabelo também está fraco, quebradiço e cai bastante, o problema está no seu metabolismo, que pode estar irregular por conta de stress, má alimentação ou remédios. Então o primeiro passo é identificar as causas e aniquilá-las. No caso, se você toma algum remédio crônico que afeta suas unhas e cabelos, NÃO ME VÁ PARAR DE TOMAR O REMÉDIO – apenas mantenha as unhas curtas e use uma base para que ela não rache em cima.

Hoje li uma matéria do Minha Vida sobre como fortalecer as unhas (você encontra a matéria aqui), e tudo o que está lá confere, EXCETO a recomendação de “tirar férias” dos esmaltes. Não é que esmaltes não causem problema at all, é que TUDO depende de COMO você trata suas unhas. Vamos lá.

Na matéria há a recomendação para ficar um tempo sem o esmalte (o vulgar “deixar a unha respirar” das manicures). Existe sim uma explicação para isso, e ela se encontra na matéria – só achei que pecaram em não dar orientações.

Uma pessoa saudável, sem micoses, com unhas fortes e bonitas, sem ondulações e tal e coisa não precisa se preocupar em ficar sem esmalte durante um tempo para as unhas “respirarem” SE E SOMENTE SE utilizarem removedores sem acetona (aqueles que contêm óleo de semente de uva e também aqueles lencinhos) e ESCUTAREM AS SUAS MANICURES QUANDO ELAS DIZEM QUE NÃO É BOM TIRAR A CUTÍCULA. E se você já pede para não tirar, fuja das “manicures” que dizem “ah, mas precisa tirar porque senão blablablá”, porque essas não entendem NADA de saúde unhística. Eu e os dermatologistas explicamos.

“‘A unha fica mais porosa, com aspecto esbranquiçado, porque o produto é extremamente agressivo e penetra nas lâminas, o que favorece a quebra e a descamação’, aponta o dermatologista Valcinir.”
(trecho retirado da matéria “Fortaleça suas unhas em sete passos”, já citada anteriormente). 

Isso vale para aquelas moças que trocam de esmalte duas, três vezes por semana indiscriminadamente. Os removedores com óleo de semente de uva tratam a pele e não agridem tanto as cutículas, que são de fato a parte mais importante das unhas. Mas ainda assim, são solventes, e todo solvente acaba levando um pouco da base (no caso a unha) junto. Uma vez li em algum lugar que não me lembro que “esmalte não faz mal pra unha, faz mal pra cutícula”, porque unha é tecido morto (pra saber o que é tecido morto basta cutucar, se doer é porque tá vivo) e a cutícula é carne. Se a unha fica fina e porosa, o esmalte vai, invariavelmente, penetrar pelos poros da unha e cair adivinha onde – na carne. Lembrando que esmalte é TINTA. Pense sempre nas suas cutículas como no seu estômago – você beberia acetona? Beberia esmalte? Não, né? Porque faz mal né? Bingo. O ideal é, inclusive, fazer a tal da esmaltação americana, que consiste em esmaltar as unhas sem encostar o pincel nas cutículas. Eu sou incapaz de fazer isso, então… ponto negativo pra Lu.

Mas agora vamos ao meu assunto preferido; as cutículas de fato. Quando dizemos para vocês pararem de tirar as cutículas e passarem a apenas hidratar, não é balela, não é frescurite, não é medo de bife. Como manicure (principiante, sim, mas nunca tirei bife) posso dizer que há aquelas pessoas que pedem pra tirar a cutícula até o talo, enquanto outras só tiram o excesso e ainda tem outras que nem tiram, pedem apenas pra cortar a pele morta dos cantos das unhas para não encravarem. Seguinte, moças: a cutícula é uma barreira contra sujeira e microorganismos. Se você tira a cutícula até o talo, você está ESCANCARANDO a porta de entrada, praticamente convidando fungos, bactérias, vírus e outras coisas mais para fazerem a festa com as suas unhas. Ou melhor, com a carne que as produz. Depois que dá uma merda, a culpa é da manicure que “não esterilizou o equipamento” – ALTO LÁ, foi você que abriu a porta, agora reclama que o bandido entrou e bota a culpa no porteiro?? Então fica a dica, NÃO tirem suas cutículas. E quando forem à manicure, peçam que não empurrem com força com a espátula, isso pode causar traumas e a unha pode ficar ainda mais fraca, quebradiça e etc… e aí não há base que conserte.

Para mais informações e dicas, visitem o site da Minha Vida e leiam essa matéria. O link está ali em cima.

Um excelente resto de semana a todas!!

E desculpa, dessa vez não tem foto.

Beijos e queijos!!

Anúncios

3 comentários sobre “Minhas unhas estão quebrando, OH, o que fazer?

  1. O que dizer, Lu?
    Perfeita a matéria!
    Eu já conhecia os detalhes por conta de experiência/leitura e assessoria de uma tia manicure. Nunca tive costume de tirar cutícula, e mesmo com pele oleosa, o creme hidratante é fundamental na minha rotina. Tenho de várias marcas e tipos… e super recomendo o da granado, ainda que caro, e o da nívea, em pote azul de metal. É uma manteiga gosmenta, mas eu uso tanto para amolecer cutículas e empurrar elas, quanto para hidratá-las, ao invés do creminho… ele me dá coceira!
    Eu nunca deixei minhas unhas respirarem, exceto quando bate a preguiça de fazê-las, e nunca tive problemas. Unhas grossas, compridas e lisinhas… Claro, alimentação influência, e assim, quebrei umas três enquanto a mãe esteve em casa… sabe como é… comer comida de mãe e porcaria é obrigatório XD ueahueahuaehuae

  2. Oi Puu!!
    É, você está certíssima! Não importa tanto o creme ou o tipo de hidratação que se faz, o importante é fazer. E você atentou a um ponto importante – TESTAR os cremes e quaisquer outros produtos antes de sair comprando, porque vai que a gente tem alergia!! E pode ser que a alergia não seja só cutânea, como é o seu caso, pode causar uma alergia respiratória ferrada (eu mesma não posso com acetona e cravo que fico com o rosto inchado da rinite). E quanto ao papel de parede, bem, esse não tem sapo, eheuheuheuheuhe

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s