Dia Mundial da Luta contra a AIDS

Por Luísa

E aí, pessoal?

Tudo em  ordem?

O post desta semana está saindo hoje excepcionalmente em razão da data à qual quero chamar a atenção.

Quem é da minha geração está mais do que cansado de ouvir sobre a AIDS e seus riscos, meios de contágio e etc, mas pode ser que grande parte da população não saiba que dia 1 de dezembro é o dia mundial de combate à doença. Lembrando que é claro que não é UM dia no ANO que vai resolver a situação toda, mas assim como o Outubro Rosa e o Novembro Azul, já é um começo. Como não existe “Dezembro Vermelho” (apesar de combinar, já que é o mês e a cor do Natal), decidi fazer esse post durar uma semana e meia, assim como o layout do blog em vermelho, para falar um pouco a respeito e tentar alcançar a consciência de quem lê.

A AIDS é uma doença viral, em português tendo sua sigla traduzida para SIDA (Síndrome da ImunoDeficiência Adquirida), que ataca principalmente o sistema imunológico de quem a contrai. Já devem ter ouvido um bocado nas aulas de ciências e biologia que “ninguém morre de AIDS, e sim por doenças oportunistas”. O vírus da AIDS, o HIV (em português “Vírus da Imunodeficiência Humana”), é considerado um “lentivírus” (fonte: Wikipedia), que significa que é um vírus de replicação lenta – o que significa que se a AIDS for identificada logo no começo, o tratamento será mais eficaz. O que também significa que o vírus só começa a aparecer em exames depois de aproximadamente UM MÊS do contágio. Ou seja, muitas pessoas são soropositivas mas não sabem, pois seus exames deram FALSOS NEGATIVOS.

PORÉM, minha gente, AIDS NÃO TEM CURA. Apenas tratamento. Se você suspeita de alguma coisa, faça o teste regularmente, durante pelo menos três meses, para ter certeza absoluta de seu diagnóstico.

Pode parecer “chover no molhado” contar como é que a AIDS é transmitida, mas vou dizer mesmo assim. É considerada uma doença venérea (DST, sexualmente transmissível) e o sexo sem proteção tem sido o principal veículo de transmissão. Também pode-se contrair AIDS por agulhas não esterilizadas, contato direto com sangue fresco de alguém contaminado e o uso de drogas injetáveis. NÃO SE PEGA AIDS PELO BEIJO, nem por copos, talheres, cadeiras. O contágio é feito apenas pelo contato direto com fluidos frescos de alguém que está contaminado.

Todo mundo sabendo direitinho como se cuidar? Então vamos ao que preparei para “comemorar” (eu diria “apoiar”) o dia de hoje.

Minha ideia original era de fazer a nail art sobre o Preto Gráfico, mas achei que ia ficar “dark” e “mórbido” demais. Não é isso que eu quero expressar, pelo contrário, é a esperança (ai que lindo). Então decidi fazer a fita sobre um brancão. A ideia de colocar os glitters surgiu de repente, e eu até que gostei, hehe.

Os esmaltes utilizados foram o Tapete Vermelho, da Colorama, sobre ele o Pôr do Sol, Cozete Gomes por Ellen Gold; no anelar, o White, Foup, tinta acrílica vermelha e branca pra fazer a fita e glitters holográficos pescados do New York Girl, da Top Beauty. UFA.

Detalhes:

Tapete Vermelho: Vermelho bem vivo, tem um shimmer meio prateado BEEEM de leve e que quase não aparece. Bem pigmentado, mas fórmula rala. Duas camadas ainda deixaram o branquinho da unha à mostra. Brilho bonito, secou depressa e foi fácil de limpar. Um bom vermelho.

Pôr do Sol: Vermelho jelly com um negócio que eu não sei se são glass flecks douradinhos ou se são microglitters, mas esse dito breeeeeelha! Uma camada sobre o Tapete Vermelho, seca envernizado (Ellen Gold <3) e a secagem é boa. Só é chatinho de limpar, só consegui tirar os brilhinhos com creme.

White: Brancão corretivo. A Foup é uma marca nacional, embora pareça gringa, e pela qualidade geral dos esmaltes (e do pincel!) não fica muito atrás dos gringos mais baratinhos não. Ele custa em torno de 7 reais e vem 15ml – o frasco lembra bastante o da OPI. Esse esmalte em específico só não foi mais problemático porque o pincel largo e achatado dele ajudou MUITO. Ele é branco bem branco, mas precisou de 3 camadas pra cobrir sem manchar e foi o caos pra dar acabamento (percebam as falhas na cutícula). Pelo menos secou rápido e tem um brilho muito do interessante.

New York Girl: Glitter médio holográfico. Achei que fosse um substituto do Disco Ball, da Impala, mas os glitters dele são menores do que os da Impala e o da Impala tem glitter fino holográfico junto. O NY Girl não é nada concentrado, exige uma pescaria pra quem quiser usá-lo como cobertura. Eu usei os glitters dele pra montar uma bordinha fofa. Foi bem mais fácil assim do que usar os glitters soltos que eu tenho em potinhos. Não sei avaliar a secagem.

Fiz a fita no olhômetro com boleador e pincel 00, então ficou meio ~bumpy~.

Cobri tudo com uma camada generosa do top coat roxo da Impala.

UFA, pessoal, hoje escrevi mais do que esperava. Espero que tenham gostado.

Novamente, se cuidem – prevenir é sempre melhor do que remediar.

Beijos e queijos, até a próxima!

Anúncios

4 comentários sobre “Dia Mundial da Luta contra a AIDS

  1. Adorei a mani. É um absurdo que com tanta informação disponível ainda exista milhares de pessoas sendo infectadas pelo vírus. É necessário pôr as coisas que aprendemos em prática e neste caso, é questão de vida ou morte.

  2. Sabe qual é o maior problema? A confiança. As pessoas vão e fazem sexo sem proteção porque dizem “confiar” no parceiro. Nem sempre a contaminação foi feita pelo sexo, às vezes a pessoa precisou de uma transfusão de sangue e a agulha estava contaminada, ou mesmo foi contaminada no nascimento e não manifestou a doença (porque sim, o vírus pode ficar incubado e não agir, mas continua sendo transmitido)… e aí a pessoa acha que é saudável, vai lá, faz tudo sem proteção e contamina o parceiro.

  3. Vamos por partes como nosso amigo Jack
    Adorei a aula kkk
    A gente já ouviu muito falar, mas tem gente que não, né…então tá valendo. Até porque já vi gnte mal informada que nem abraça quem tem AIDS ¬¬”
    COmo assim esmalte branco branco corretivo que precisa de 3 camadas? ¬¬ Irgh, tem dó
    E mano…que paciência descomunal foi essa sua de catar os glitters e fazer em torno do laço e das unhas? O_O haja paciência!
    Mas ficou ótima a nail art =D
    Beijos beijos

  4. Pois é, chega a ser cômico de ver quanta gente ignorante no assunto ainda existe…

    E sim, é daqueles brancões que cobrem bem, mas marcam as nervuras das unhas, sabe, qualquer irregularidade ele dá na cara. Eu uso ele como base pra esponjado hoje em dia. Pra usar puro prefiro o Peace da Barbie, haha! E TSU, PESCAR GLITTER É TERAPÊUTICO, você devia tentar qualquer dia. <3

    Beijundas!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s